segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Festa de Sant´Ana em Caicó é reconhecida pelo IPHAN

Finalmente a Festa de Santana  de Caicó foi  reconhecida como Patrimômio
Cultural do Brasil protegido  pelo Iphan  (Instituto do Patrimônio
Histórico e Artístico Nacional). É a  quarta  manifestação cultural
a ser inscrita do Livro das Celebrações  como  Patrimônio Cultural do
Brasil. A proposta encaminhada pelo Iphan  teve  como proponente a
Diocese de Caicó. Pesquisa desencadeada pela  Superintendência do
Iphan no Rio Grande do Norte,  foi  realizada por uma equipe coordenada
pela Profa. Julie Cavignac (UFRN) e  contou com professores do
Departamento de História do CERES (Profa.  Paula Sônia de Brito e
Prof. Muirakytan K. de Macêdo), IFRN (Profa.  Isabel Dantas) e alunos
do Curso de História do CERES e Antropologia da  UFRN, contando com o
envolvimento decisivo, seja na dimensão profana,  seja na religiosa, de
todos partícipes da Festa de Santana. Abaixo trecho da notícia do site
do Iphan (veja o texto integral em
http://portal.iphan.gov.br/portal/montarDetalheConteudo.do?id=14811&sigla=Institucional&retorno=detalheInstitucional)
  *********************************************** 
Festa de Sant'Ana em Caicó – RN: fé, devoção, tradição e muita alegria. 
Essas poucas palavras podem expressar os sentimentos que reúnem os devotos da Festade Sant’Ana do Caicó, no Rio Grande do Norte, que pode se tornar a quarta manifestação cultural a ser inscrita do Livro das Celebrações
como Patrimônio Cultural do Brasil. A primeira celebração registrada
foi  o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará, em
outubro de  2004. A segunda foi a Festa do Divino Espírito Santo de
Pirenópolis, em  Goiás, em maio de 2010, e a terceira, o Ritual Yaokwa
do Povo Indígena  Enawene Nawe, do Mato Grosso, em novembro deste ano.
A Festa de Sant’Ana ocorre em Caicó há mais de 260  anos e reúne
diversos rituais religiosos, profanos e outras  manifestações
culturais. A Festa está enraizada na história de Caicó,  remontando a
formação da sociedade brasileira no período da colonização.  Ocorre
todos os anos, entre a quinta-feira anterior ao dia 26 de  julho,  dia de
Sant'Ana, até o domingo seguinte. Os dias da Festa  incorporam  outras
manifestações culturais, com destaque para a produção  das comidas
típicas e a confecção do artesanato sertanejo, como os  bordados do
Seridó que chegaram à região pelas mulheres dos  colonizadores
portugueses.  

(recebido por e-mail)

Nenhum comentário: