quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Musical Beco da Alma abre audições para elenco

Musical de Cláudia Magalhães e Danilo Guanais com direção de João Marcelino 
será encenado em janeiro de 2011 e vai abrir audições para elenco . 


Musical baseado no livro "Esquina do Mundo - a hora do cão lobo" de Cláudia Magalhães.
Música: Danilo Guanais
Direção: João Marcelino.
Produção: Ana Lira e Fernando Rocha.

http://www.musicalbecodaalma.blogspot.com
http://twitter.com/becodaalma

O Musical "Beco da Alma" baseado no texto teatral “Esquina do mundo - a hora do cão-lobo”, de Cláudia Magalhães (recentemente publicado em livro), vai ganhar os palcos natalenses com música de Danilo Guanais, direção de João Marcelino e produção executiva de Ana Lira e Fernando Rocha. O espetáculo terá sua estréia em janeiro de 2011. As audições para escolher o elenco do espetáculo musical ocorrerão de 18 a 22 de outubro no hotel Rifóles. A partir do dia 15 de setembro, no Centro Experimental de Formação e Pesquisa Teatral, já estará a disposição dos interessados o material necessário para a audição, que consta de uma sinopse do espetáculo, descrição dos personagens e partituras musicais. Ensaios a partir de 25 de outubro. Mais informações com a produção, através do e-mail: fernandorocha5@hotmail.com

A peça é um grande painel humano sobre a vida de personagens "malditos" que transitam em um bar que fica poeticamente na "esquina do paraíso com o inferno". A trama gira, prioritariamente, em torno do reencontro de três amigos de infância, Rato, Zé e Carlão, que tomaram diferentes rumos na vida e do romance entre o alcoólatra Rato e a louca esperança, um amor puro demais para sobreviver ao emaranhado de violência e rancores desencadeado com o encontro dos três amigos. Um amor predestinado à tragédia. A trama mistura humor, tragédia e romance.
NAS LIVRARIAS SICILIANO (Midway, Natal Shopping e Mossoró)

Um breve currículo de Danilo, Cláudia e João:

DANILO GUANAIS
Nascido em São Paulo-SP (1965), cedo veio para Natal, onde iniciou seus estudos de Música, na Escola de Música da UFRN, com Fidja Siqueira (violão), Clóvis Pereira (Teoria da Música) e Pe. Jaime Diniz (História da Música, Harmonia e Contraponto). Atuando a princípio como instrumentista, em grupos como a Orquestra Sinfônica do RN (como timpanista), o Madrigal da UFRN e o Coral Canto do Povo (como tenor e chefe de naipe), o Quinteto de Violões da UFRN e o Duo de Violões Alvaro/Danilo, logo descobre a vocação para o trabalho com as artes cênicas, compondo as trilhas sonoras das peças “A Mente Capta”, de Mauro Rasi; “O Processo de Lucullus”, de Bertold Brecht; “Quem Beliscou Paulinho?”, de Chico Villa e Marcos Bulhões; “A Missão”, de Heiner Müller; “O Moço que Casou com Mulher Braba”, de D. Juan Manuel; “Papai Pirou nas Ondas do Rádio”; “A Igreja Verde” e “O Senhor dos Labirintos”, com as quais conquistou oito prêmios em festivais de Teatro, dois deles internacionais. Em 1996 gravou a sua Missa de Alcaçus, para coro, orquestra e solistas, sendo a obra executada integralmente em João Pessoa, Brasília, Manaus, São Paulo, Aracaju, Cuiabá, Milão, Veneza e Gênova. Em 2002 estreou em Natal sua Sinfonia em 4 movimentos, para 4 atores, coro e orquestra. Mestre em Composição pela Unicamp/UFRN desde 2002, compõe regularmente para grupos vocais e instrumentais, sendo sua obra executada freqüentemente no país e no exterior, além de dar continuidade ao trabalho de composição de trilhas sonoras de grandes espetáculos ao ar livre, entre os quais se destacam “Um Presente de Natal”, “Oratório de Santa Luzia”, “Auto de São João Batista”, “O Nascimento de Jesus Cristo”, “Chuva de Bala no País de Mossoró”, “Asas da História” e “Terra de Santana”. Ganhador do Prêmio Hangar de Melhor Compositor Erudito no Nordeste, em 2004, atualmente é professor da Escola de Música da UFRN.

"Danilo Guanais é um músico da mais alta importância para o nosso país. Eu admiro tanto Danilo Guanais que no município de São José do Belmonte, todo ano, no último domingo de maio, estão encenando uma cavalhada e uma cavalgada. Eu ganhei de presente de Danilo Guanais uma Missa. Essa missa é tão bonita que eu escolhi cinco temas dela para fazer uma espécie de “Cantata da Pedra do Reino”, que é tocada lá todo ano.”

Ariano Suassuna

CLÁUDIA MAGALHÃES
Escritora, Dramaturga e Atriz. Dentre seus trabalhos destacam-se as atuações nas peças "O Mito do Andrógino", "Debacoabete", "As Fúrias", "Relações", "O Oitavo Pecado Capital", "O Caminho das Folhas de Outono" (Adaptação da peça "Macbeth" de Shakespeare), "Humor a Dois", "Neurótica", "Bye, Bye Natal", "A Ópera do Malazarte", "A Farsa do Poder", "Um Presente de Natal" e "O Outro Lado da Lua". Em 2002, participou do primeiro ciclo de leituras dramáticas do Centro Experimental de Formação e Pesquisa Teatral, com: "Entre Quatro Paredes", "Vestido de Noiva", "Édipo" e "Macbeth". Como dramaturga escreveu "Entre Nós (2009)", "O Outro Lado da Lua", "Um Presente de Natal"(2005), "Terra de Sant'Ana"(Encenado em 2006 e 2007. Publicado em livro em 2008), "O Oratório de Santa Luzia(2006), "Nossa Senhora dos Navegantes (2010)", "Nossa Senhora da Esperança (2010)", "Neurótica" e "ESQUINA DO MUNDO - A hora do Cão Lobo" (Publicado em livro em 2009). É autora de vários contos que publica em sua coluna na revista Papangu, em vários sites e no seu blog: www.teatroclaudiamagalhaes.blogspot.com

“De repente, não mais que de repente, eis que surge um sinal luminoso, um gesto positivo, um forte aceno na nossa dramaturgia. Este sinal de luz nos chega com a peça de Cláudia Magalhães, Esquina do Mundo, surpreendente pela qualidade e ousadia. Este Esquina do Mundo é talhado para arrebatar pela criatividade e pela linguagem, surpreender pela ousadia, e, desde já, se inscreve entre as peças mais importantes já escritas no Rio Grande do Norte. E pode, sem dúvida, chocar aqueles que veem a vida e a arte pelo ponto de vista de um congregado mariano. O poeta Jorge de Lima advertia, em seu Invenção de Orfeu: "Se vós não tendes Sal-gema/Não entreis nesse poema”. A advertência vale para os que quiserem freqüentar a esquina de Cláudia.

É muito agradável ser surpreendido por uma obra literária de qualidade. No Beco da Lama, numa roda de boêmios, eu soube que Cláudia Magalhães fez um estágio em Nova York, onde ficou conhecida como "The devil sucking mango"

Nei Leandro de Castro


JOÃO MARCELINO
Estudou na Escola Internacional de Antropologia Teatral– ISTA, com o mestre italiano Eugênio Barba. Estudou desenho, pintura e aquarela, com o professor Alcides Sales na Oficina de Gravura Rossine Perez. Estudou canto lírico, técnica vocal e musicalização com a soprano brasileira Atenilde Cunha e com o tenor italiano Nino Crimi, na Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Estudou maquiagem artística na Maison Payot de São Paulo e estudou dança clássica com o màitre Roosevelt Pimenta no Ballet Municipal de Natal. Como Diretor, Figurinista, Cenógrafo, Maquiador e Ator, participou de 86 espetáculos dentre os quais dirigiu 35, recebendo 25 prêmios nacionais e 01 internacional. Começou no teatro em 1980 e atua como Diretor, Figurinista,Cenógrafo e Ator. Hoje, é o coordenador do Centro Experimental de Formação e Pesquisa Teatral da Fundação José Augusto.

“João Marcelino! Classificá-lo, como? Cantor, ator, diretor, professor de canto e interpretação, folclorista, estilista, cenógrafo, figurinista? Não importa. Talento plurivalente. Competência plurivalente. Sensibilidade plurivalente. Seu Trabalho é simplesmente primoroso. Lidando quase sempre com materiais baratos, sua criatividade transforma tudo em arte pura. Trabalhar com ele foi, para mim, um prazer extraordinário, além de um aprendizado utilíssimo."

Paulo Autran


Cláudia Magalhães
http://www.teatroclaudiamagalhaes.blogsp...
http://twitter.com/claudiamaga
http://facebook.com/teatroclaudiamagalhaes

9103-5285/9936-5319/8728-2051

Nenhum comentário: