quarta-feira, 14 de julho de 2010

"Nós Sós" na Casa da Ribeira

15 e 16 de julho, às 20h-Preço único: 10,00
                     Em Nós, Sós, pensamos e dançamos a morte como um processo contínuo da
vida. A morte como acontecimento necessário à perpetuação da espécie, à
renovação das células, dos tecidos, ao reconhecimento da imortalidade
(ou do desejo dela), aos mapeamentos e registros outros de um corpo que
abre espaços para reconhecer distintas possibilidades e maneiras de se
ver dançante, que vive a tentativa de um diálogo artístico com sua
ancestralidade, memórias, técnicas e experiências estéticas. A condição
existencial da morte e da dança são os germes que alimentam a nossa
composição.


Nós, Sós.
Uma conversa
Sobre a morte,
Sobre a vida, a Sós, a Nós.

A sós, nós
Que se atam
E desatam,
A sós.

Nós, sós,
Nós, nós,
Sós, nós:
Sós.
Só, só, nós
Nós, nós, nós
Que se fazem,
A sós.

Nó...nó...: nós
Só...só...nós, sós!!!!

(recebido por e-mail)

Nenhum comentário: