quarta-feira, 18 de junho de 2008

Mário Rasec - pintor e poeta



Mário César Rasec, poeta e pintor, falou a alunos da disciplina Estética -2008.1(turma sob nossa responsabilidade). Aluno de Artes Plásticas-DEART, ele é silencioso e simples, mas tem uma poesia poderosa e uma pintura que causa impacto aos acostumados com uma linguagem plástica bem 'referenciada'. Parece não prestar atenção ao mundo ao redor, mas está absolutamente atento. Tanto é assim que aproveita tampinhas metálicas achadas no chão, e esqueleto de gato, garfos e pregos. Espanta? Sim. Ele expõe um inconsciente arquetípico, se queremos acomodar sua produção numa leitura mais acadêmica. Mas me sinto tentada a dizer que ele projeta um inconsciente 'atípico' (se é que esse tal inconsciente não é sempre assim...). Importa que ele descondiciona o olhar... E isso, penso, é algo que a arte sempre busca, principalmente num mundo asfixiado de 'belas' imagens. Surpreender é preciso, então.
Por enquanto, dois versos de Os Navegadores de Nuvens, do seu livro Apostasia:

"Somos discípulos de meias verdades.
A navalha nos transformou."

Nenhum comentário: